Liberal no Brasil?

Com uma pitada de ironia, segue uma sugestão para um governo liberal injetar uma boa dose de capitalismo (não de Estado) na gestão da coisa pública.

Por que não entregar à iniciativa privada a possibilidade de construir a extensão da marginal pinheiros com recursos dela própria (não de bancos públicos ou do tesouro do Estado)?

Ao invés de vender terreno no atacado, como se está fazendo no Anhembi, em Interlagos, na Regional Pinheiros, em breve no Ceagesp, nos parques, entre outros, por que não fazer parcerias produtivas para construir cidade?

Cada um entra com o que tem: a prefeitura entra com a terra e a legislação, o grande capital entra com o capital (o dele) e os detentores da capacitação técnica entram com a capacitação técnica.

Seria isso uma parceria público-privado?

Sugestão de parâmetros de projeto:

Ser projetada como uma avenida urbana e não como uma auto-estrada, contendo:
. áreas para pedestres caminharem e estarem,
. comércio e atividades outras,
. pontos de ônibus e outros meios de transporte coletivo,
. muita vegetação e
. um interessantíssimo e criativo sistema de drenagem que poupará o rio, diminuindo drasticamente o volume e a velocidade de chegada de água pluvial, de água servida, efluentes outros (inclusive industriais, ainda presentes em monta na região).
. por fim, deve ser projetada não apenas do ponto de vista de sua geometria viária mas em conjunto com a ocupação proposta e prevista (densidade e incomodidade, geração de emprego e renda) em pelo menos 250m a 300m bairros a dentro.

Assim, ela poderá ser o parâmetro, o exemplo de como ficariam as demais marginais quando reurbanizadas num futuro próximo…

Valter Caldana

This entry was posted in cotidiano. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta